8 de dezembro de 2007


Freud, o Pai da psicanálise, disse:
"Quando a dor de não estar vivendo for maior que o medo da mudança, a pessoa muda".

O medo de errar, de não dar certo, do desconhecido, realmente assusta. Então, não mudar é mais fácil e cômodo.
Em verdade, medo é ignorância. Quem é ignorante tem medo porque ignora a Vida. Por outro lado, se você pensar assim: vou dar o meu melhor, vou abrir a porta e ver o que me espera, irá sair do imobilismo. No entanto, os acomodados e medrosos preferem ficar na rotina, não se arriscar porque se mudar alguma coisa em suas vidas, já ficam inseguros. Há pessoas que não ousam sequer experimentar, saborear uma comida nova. O novo assusta, gera desconfianças. Em muitos casos, a falta de iniciativa, curiosidade são sintomas máster de insegurança. São pessoas frustradas, reprimidas por um processo educacional, autoritário e opressor e por parte dos pais. Nada podia, tudo era proibido, censurado. Há pessoas que foram tão reprimidas em sua infância que acabam perdendo o tesão pela vida, o entusiasmo de querer viver. Não obstante, as pessoas que querem realmente mudar, não procuram soluções lá fora, culpando os outros pela sua infelicidade ou buscando justificativas pelos seus fracassos.
A grande maioria diz que "não consegue", que é "difícil", se diz desmotivada, insatisfeita.

Busca soluções fora de si. Fica perdendo tempo em querer mudar por fora e não por dentro, nas suas crenças e atitudes internas. Muitos buscam muletas para se apoiar, ser dependente.
É de criança que se ensina a não estimular o passivismo e o vitimismo. É não fazer pela criança, mas deixá-la fazer por si.
É delegar responsabilidades de acordo com a idade da criança. Quando cair, se a queda não for grave, deixe-a se levantar sozinha. Se pagá-la constantemente no colo, vai estimulá-la a ter medo de cair e não vai ter sempre a presença dos pais ao seu lado. Esse sentimento de incapacidade, de que não consegue, muitas vezes você escutou de seus pais quando criança.

É na infância que se faz um adulto forte. Um adulto firme, solto, tem também uma criança solta dentro de si. Uma criança que quer continuar sendo um bebê, vai ser um adolescente e um adulto problemático.
É na infância que se deve começar a mostrar à criança que jamais podemos fazer, viver por ela.
Pessoas queixosas, que se lamentam constantemente, agem dessa forma por que estão tão acostumadas a ter pessoas para ouvi-las, para dar atenção e colo. É um hábito de pensamentos e atitudes.
Aprenda a mudar esses hábitos, parando de reclamar tanto da vida.
Seja forte, evite entrar no negativismo, controle a si mesmo. Quando você começar a se controlar, vai dar um grande passo e sua vida vai começar a andar.

Os problemas aparecem em nossas vidas para serem resolvidos e não para serem "empurrados" para frente.
Não fuja deles, enfrente-os. Ao sentar numa sala de aula em vários lugares, você vai aprender melhor porque vai ver sob outros ângulos os ensinamentos. Assim também devemos fazer em relação aos problemas da vida. Veja-os sob vários aspectos para poder melhor resolvê-los.

Nenhum comentário:

esse eu indico

NASA Image of the Day